Noticias do Mundo Animal

Noticias diversas do Mundo Animal

Atropelamento Animais Silvestres em SC: grandes avanços nos útimos anos

Inciativa pessoal obteve grandes resultados contra este massacre nas rodovias em Santa Catarina

O Instituto Rã-bugio fez há 15 anos o monitoramento (com recursos pessoais de Elza & Germano) ao longo de meses da mortandade de animais silvestres em um trecho da BR-280, depois de apresentar os números concretos e fotos conseguiu com apoio do Ministério Público exigir do DNIT as medidas, que foi a construção de um túnel e sinalização neste trecho, que apresentava índices altíssimos de atropelamento. Posteriormente, o Instituto Rã-bugio foi convocado para participar de todas as audiências públicas para discutir as medidas mitigatórias no projeto da duplicação da BR-280. Lembrando que o DNIT escavou o túnel sob a rodovia pronta, 30 anos após ser construída. Foi uma obra cara e de difícil execução. Isso ocorreu por determinação do Ministério Público, atendendo nossa denúncia, e foi um feito extraordinário na época, digno de reconhecimento.

Cada lugar tem suas especificidades, cada espécie de animal tem seu hábito (como, por exemplo, jamais entrar em um túnel) e por isso medidas eficazes só podem ser tomadas e acompanhadas com atuação de instituições locais, muito conhecimento científico e a experiência de outros lugares. Eu não sou especialista neste assunto, mas já li muito a respeito das experiências em outros lugares do Brasil, Estados Unidos e Canadá o que me permite entender pelo menos a complexidade do problema. Em uma rodovia dos Estados Unidos, por exemplo, 30% do valor da obra foram gastos em medidas para evitar o atropelamento de animais silvestres. E o monitoramento é permanente para determinar se as medidas adotadas são efetivas para cada local. Assisti isso em uma palestra dos pesquisadores norte-americanos envolvidos no projeto.

Animais estão sem passagem

Túnel feito em 2005, destinado ao trânsito de espécies silvestres, às margens da BR-280, está entupido

Jornal A Noticia (edição estadual) 08/06/2008 – Portal www.an.com.br

Link da matéria

http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a1952059.xml&template=4187.dwt&edition=10029&section=902

Muita gente não sabe, mas no quilômetro 39 da BR-280, em Araquari, um túnel foi construído, em 2005, especialmente para facilitar a passagem de animais silvestres da região. A estrutura foi reivindica um ano antes pelos ecologistas do Instituto Rã-bugio para Conservação da Biodiversidade ( www.ra-bugio.org.br ), com sede em Jaraguá do Sul.

Na Semana do Meio Ambiente, a secretária-executiva da organização não-governamental (ONG) Rã-bugio, Elza Nishimura Woehl, foi até o local e contatou que o túnel está entupido, com água parada, resíduos de matéria orgânica e forte odor de fezes.

Na tentativa de conscientizar e alertar os motoristas, uma placa indicando a "possibilidade de animais silvestres nos próximos três quilômetros" está fixada no quilômetro 41, no sentido Araquari/Joinville. A poucos metros, outra placa indica a necessidade de reduzir a velocidade para 60km/h.

A maior preocupação dos defensores da fauna silvestre é que essa situação obriga todos os animais a atravessarem a pista por cima, aumentando ainda mais o risco de morrerem atropelados por causa do grande fluxo de veículos que circulam na rodovia.

A obra é de responsabilidade do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (DNIT), que periodicamente tem o compromisso de fazer vistorias no local. Segundo o engenheiro responsável pelo escritório do DNIT em Joinville, Antônio Bessa, a obstrução do túnel ocorreu há cerca de 15 dias, após o tombamento de carga de farinha, fato que impossibilitou a drenagem da água da chuva no local.

Segundo Bessa, o problema será sanado possivelmente nesta semana, quando deve ser feita a limpeza da passagem, que tem 1,40 metro de diâmetro e 18 metros de extensão.

Elza lembra que em janeiro deste ano, acompanhada do marido, Germano Woehl Junior, coordenador de projetos da Rã-bugio, constataram que o túnel estava seco: "Vimos pegadas de mão-pelada e cachorro-do-mato", conta a ecologista.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em 8 de setembro de 2014 por em Uncategorized.

Irmão Animal

%d blogueiros gostam disto: